Dia Internacional da Conscientização Sobre o Ruído alerta para riscos da exposição ao barulho
 

Lembrada ontem, campanha destacou o tema: “Conforto acústico e educação: um bem para você e sua audição”.

Ontem foi lembrado o Dia Internacional da Conscientização Sobre o Ruído. O movimento foi criado em 1996, nos Estados Unidos, pelo Center for Hearing and Comunication (Centro de Audição e Comunicação), respeitada instituição norte-americana dedicada aos cuidados com a saúde auditiva. A intenção é conscientizar, convidando as pessoas a permanecerem em silêncio por 60 segundos, em um local sem ruídos, a fim de demonstrar o impacto do barulho intenso e constante no cotidiano dos grandes centros urbanos.

Dra. Vanessa Gardini, fonoaudióloga da Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos, de Sorocaba (SP), destaca a importância da iniciativa. “A audição é um sentido fundamental para nós, que está sendo a cada dia mais prejudicado pela vida agitada nas cidades, onde é quase impossível se isolar de ruídos excessivos, seja no trânsito, no trabalho ou nos momentos de lazer, quando costuma-se fazer uso de fones de ouvido ou frequentar lugares com música muito alta. Então, toda campanha que venha a conscientizar para os cuidados com a audição é muito bem-vinda”, comenta.

O tema da ação deste ano é “Conforto acústico e educação: um bem para você e sua audição”, convidando as pessoas a se disciplinarem quanto aos cuidados com os ouvidos. “Um local com conforto acústico oferece níveis de ruídos dentro do considerado seguro à audição. Hoje em dia, muitos não dispõem desse ambiente no trabalho, onde operam máquinas barulhentas ou, até mesmo, em casa, no caso de quem mora próximo a avenidas movimentadas”, detalha a especialista.

Pessoas frequentemente expostas a ruídos elevados estão mais propensas a desenvolver problemas de saúde, que vão muito além dos prejuízos à audição. “Quem trabalha em ambientes ruidosos acaba ficando mais irritado, estressado, não consegue se concentrar nas tarefas, correndo o risco de cometer erros e sofrer acidentes. Além disto, pode apresentar tonturas, dores de cabeça e doenças psicológicas, como a ansiedade e a depressão”, revela a fonoaudióloga da Pró-Ouvir. “Quem sofre com barulho excessivo diariamente, além de todos os problemas já citados, ainda tem o sono prejudicado, dificuldade para conversar e interagir com a família, enfim, os transtornos motivados pelos ruídos altos são inúmeros”, ressalta.

Dra. Vanessa enumera os principais sintomas apresentados por quem é afetado pelos sons em excesso. “Esforço para escutar, irritabilidade ao estar em ambientes com muitas pessoas falando ao mesmo tempo, dificuldade para dormir, sensação de ouvido entupido e qualquer outra anormalidade com a audição precisa ser investigada”, orienta.

A perda auditiva é um problema sério, que precisa ser tratado o mais brevemente possível. “Quem não escuta adequadamente tem sua qualidade de vida diminuída, além de estar exposto a inúmeros problemas. O tratamento da perda auditiva inclui reabilitação com fonoaudiólogo e uso de aparelhos auditivos, que compensam o déficit de audição”, completa.

Embora a reabilitação para perda auditiva seja uma realidade e os usuários de aparelhos auditivos possam ter uma vida normal, Dra. Vanessa destaca que nada substitui a audição natural. “A tecnologia propicia excelentes maneiras de compensar as perdas de audição, visão ou mobilidade, no entanto, todos concordam que o melhor é não precisar desses acessórios, o que reforça a importância do cuidado preventivo e de levar a sério a mensagem de campanhas, como esta, que alerta para os perigos da exposição a ruídos excessivos”, conclui.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3231-6776 ou pelo site: www.proouvir.com.br.