Próteses com chip garantem maior segurança no aumento dos seios
 

Implante concentra informações importantes que podem ser acessadas pelo cirurgião plástico;
superfície nanotexturizada permite melhor adaptação à anatomia e ao movimento normal da mama.

Além da constante atualização no modo como é feita a cirurgia de mamoplastia de aumento, as próteses de silicone também contam com o avanço da tecnologia para melhorar, cada vez mais, o seu material.

Chegou recentemente ao Brasil um modelo de silicone inteligente, que conta com um microchip onde são concentradas as informações do implante e que podem ser acessadas pelo cirurgião plástico, por meio de um dispositivo leitor especial. Além disso, possui uma superfície nanotexturizada que oferece uma melhor biocompatibilidade e interação mais natural entre o implante e o tecido mamário, permitindo que o implante se adapte ao movimento normal da mama.

A novidade recebeu o registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no mês de marco e as cirurgias já começaram, como conta Dra. Roberta Barros, cirurgiã plástica da Ápice Medicina Integrada, de Sorocaba (SP). “A prótese é indicada para as mulheres que querem aumentar a mama e para aquelas que, por alguma razão, como perda de peso ou pós-amamentação, apresentam flacidez de mama e desejam reposicionar e reestruturar a região”, detalha.

Por meio de um aparelho portátil que lê as informações do microchip, é possível ter acesso, de forma rápida e não invasiva, aos dados sobre tamanho, número de série, data de lote e de fabricação. “O produto é considerado uma inovação no mercado de cirurgias plásticas, por fazer com que o cirurgião plástico tenha mais segurança sobre o produto que está analisando”, explica a médica. Ainda segundo Dra. Roberta, outra vantagem é que, caso ocorram possíveis alterações e a necessidade de novas cirurgias plásticas nos seios, o especialista dispõe de mais informações para tomar a decisão adequada.

Apesar de tanta tecnologia, o valor comparado às demais próteses não é muito diferente. E este também foi um aspecto levado em consideração pela comerciante Selma Cristina Vieira Toniolo, de 45 anos. “Pela pouca diferença de valor, optei pela prótese com microchip, pensando, principalmente, na tecnologia e segurança que oferece”, relata Selma.

Outro diferencial é a superfície do implante. “A nova prótese é nanotexturizada, promovendo maior biocompatibilidade com o tecido mamário, deixando a mama mais natural e diminuindo o número de complicações, como a contratura capsular”, lembra a especialista.

De acordo com a fabricante Motiva Implantes, futuramente, as próteses de silicone com microchip possibilitarão o monitoramento da temperatura e pressão, evitando riscos de ruptura, rejeições, inflamações e infecções que, por menores que sejam, ainda podem ser decorrentes do procedimento cirúrgico.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3229-0209, pelo site: apice.med.br ou pelo Facebook: facebook.com/apicemedicinasorocaba. A Ápice Medicina Integrada fica na Rua Eulália Silva, 214, no Jardim Faculdade, em Sorocaba (SP).